terça-feira, 17 de novembro de 2009

Câncer Linfático - Remissão, Recaída e Cura

Meu tratamento está completo. E agora?

O tratamento do câncer linfático (linfoma) geralmente leva meses para ser concluído. No final desta provação você quer saber como está. Você está curado? Por que alguns linfonodos ainda parecem inchados? A doença ainda existe? Ela pode voltar? Os médicos tentam explicar a situação usando termos como “remissão”, “recaída” e “cura”.
Mas o que eles realmente significam? Uma centena de perguntas enche a sua mente. Veja a explicação para essas e outras dúvidas que você pode ter.


A primeira visita de acompanhamento

O dia que você receber o último tratamento não é o dia em que o médico irá avaliá-lo para dizer se você está curado ou não. Isso é porque os tratamentos de câncer, muitas vezes levam algum tempo para agir. Normalmente, o médico irá marcar uma consulta após 4-8 semanas. Isto dá a terapia algum tempo para agir sobre o câncer. O médico faz então alguns testes para avaliar se há “remissão”.


O que é remissão?

Remissão significa que o câncer linfático foi eliminado ou reduzido. Quando o tumor desapareceu completamente, os médicos chamam de “remissão completa”. Quando o tumor reduziu bastante, mas ainda permanece, é chamado de “remissão parcial”. No câncer linfático de Hodgkin e não-Hodgkin agressivo, os médicos sempre almejam uma remissão completa. Para um indolente ou NHL de baixo risco, muitas vezes, uma remissão parcial é suficiente.


Quando uma remissão torna-se cura?

Mesmo que sua doença esteja eliminada após o tratamento, ainda não é uma cura. O câncer linfático tem uma chance de retorno, e o médico, muitas vezes, esperará alguns anos antes de estar totalmente confiante que sua doença não voltará. Só depois disso é que ele pode lhe dizer que você está curado. Para linfomas de Hodgkin e não-Hodgkin agressivo, a doença tem maior chance de retorno dentro de dois anos. NHL indolente, muitas vezes pode retornar depois de muitos anos.


A importância de um acompanhamento regular

Visitas regulares ao médico são a melhor maneira de manter-se a par de sua doença. O médico irá examiná-lo em cada visita. Ele também pode solicitar alguns testes e exames. A detecção precoce do retorno de sua doença muitas vezes pode resultar em melhores resultados com os tratamentos subseqüentes. Se a doença não for encontrada, você pode ficar tranqüilo sobre sua saúde.


Recaída

O câncer linfático podem voltar, isto é, o paciente sofre uma “recaída” depois de o câncer ter sido inicialmente eliminado. Isso só acontece na minoria dos pacientes. Se isso acontecer a recaída ainda pode ser controlada com um tratamento subseqüente. A recaída pode ocorrer nas mesmas áreas que foram anteriormente afetadas, ou pode ocorrer em novas áreas do corpo. Você deve relatar quaisquer novos inchaços ou problemas de saúde ao seu oncologista.


Stress e pânico não ajudam

A remissão completa após o tratamento é um sinal muito bom. A maioria das pessoas permanecem livres da doença. Você não deve ter medo das visitas de acompanhamento e ficar apreensivo de que algo será descoberto. Essas visitas dar-lhe-ão a chance para falar com o médico e esclarecer suas dúvidas. Mesmo que ocorra uma recaída, não entre em pânico. Existem vários tratamentos eficazes disponíveis para controlar e curar o câncer linfático (linfoma).

2 comentários:

  1. Boa tarde:

    Bem oportuna a explicação...
    Muito se desconhece sobre este tipo de cancer_confesso que eu sabia pouco inclusive!
    Esta doença é aterradora mesmo; embora muito já se tenha evoluído - onde ainda falte a CHEGAR LÁ.
    No presente momento, passo uma situação bastante ruim: uma pessoa da minha familia se encontra com a doença... E está sendo um sufoco/difícil mesmo!
    Vou tentar ser objetivo a seguir.
    A pessoa estava com uma tosse há alguns meses, fez exames: deu que seria ASMA e depois PNEUMONIA_onde esta última aconteceu. E fazendo exames... Mostrou que a temida doença estaria no início. Tanto que iniciou tratamento de quimioterapia (onde teve efeitos colaterais). Nos últimas dias, sentiu uma FALTA DE AR: foi para o hospital (onde está em tratamento) e fez procedimentos (transfusões de sangue/exames); até a pessão aumentou por causa da tal transfusão - nunca imaginei que isso ocorresse. E sabendo indiretamente_mostra que se espalhou para outros órgaõs!
    O que acho que CONTRADIZ é que exames dizem VÁRIAS COISAS. Ou a doença se iniciou a tempos e os sintomas se iniciaram...
    E em relação ao CANCER LINFÁTICO (foi por onde descobri o site aqui!)... A pessoa esteve doente (septicemia) há bastante tempo (final da década de 70), usou inúmeros remédios: tanto que é alergica a algumas medicações - e me disse uma vez que antes disso teve algo a ver com isso da parte linfática; e que poderia voltar TANTO TEMPO DEPOIS.
    Confesso que as coisas não estão fáceis. E escrevo aqui mais para um desabafo (e possível suporte).
    E o que se conclui é que o CORPO HUMANO NÃO É TÃO PERFEITO ASSIM (quando se menos espera_coisas do tipo surgem).
    Além de agradecer por possíveis ajudas.

    Grato,
    Rodrigo O. Rosa

    http://rodrigo-arte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Gostaria de saber se o câncer do assoalho da boca tem cura rápida? Quanto tempo o médico deve esperar para ter certeza da cura? Por favor, se puder me responder no meu e-mail: flimasilva1000@yahoo.com.br
    Atenciosamente,
    Fábio
    Obrigado!

    ResponderExcluir